14º MBTdebateJUR

Os advogados Rodrigo Totino e Thaís Rodrigues aproveitaram o MBTdebateJUR para compartilhar alguns temas tratados no Congresso de Pequenos e Médios Escritórios – PME na Fenalaw 2019.
Rodrigo Totino apresentou para a equipe três temas, são eles (i) MindSet; (ii) Posicionamento estratégico e; (iii) Engajamento de equipe e benefícios do feedback para o profissional e a organização.
Sobre Mindset, foi debatido acerca da teoria da Neuroplasticidade e características de pessoas com Mindset Fixo e Mindset Flexível.
No tocante a posicionamento estratégico, os advogados conversaram sobre os 7 passos de uma reflexão estratégica essencial, sendo eles, 1 – Analise o Mercado e a sua posição perante seus competidores; 2 – Analise os aspectos internos do seu escritório; 3 – Analise impactos positivos ou negativos de mudanças externas; 4 – Analise seus Clientes e Serviços; 5 – Para Manter o foco, concentre-se em 3 ou 4 aspectos; 6 – Faça um plano de ação a partir das prioridades e 7 – Faça.
Por último, o advogado Rodrigo Totino falou sobre engajamento de equipe e benefícios do feedback para o profissional e a organização, pontuando interessantes estatísticas sobre o processo de feedback e engajamento nas organizações. Ademais, pontuou sobre a importância do Feedback on the job, bem como a importância da clareza do que é esperado.
Já a advogada Thaís Rodrigues abordou quanto a temática Direito e Tecnologia, expondo a respeito dos paradigmas, como as barreiras físicas, conflito de gerações e a expectativa contra a realidade, assim como as novas formas de trabalho para o profissional, sendo os novos espaços físicos, tecnologias disponíveis e acessíveis e novos meios virtuais.
Em destaque, discutiram a respeito da inteligência artificial, apontando as principais mudanças no campo jurídico, como a eliminação de alguns cargos que realizam trabalhos mecânicos, por outro lado, apontaram que também surge a criação de novos cargos que entendam de tecnologia e direito, e ainda a diminuição da quantidade de processos por meio da automatização.
Diante disso, têm-se o questionamento se a inteligência artificial poderá substituir o advogado, em razão do receio da substituição dos humanos pelas máquinas, todavia, é preciso considerar que a tecnologia é usada para auxiliar os profissionais e não substituí-los, pois mesmo impactando o mercado, a tecnologia não irá desvalorizar o advogado.
Por derradeiro, a advogada Thaís trouxe para debate os aspectos práticos da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), especialmente quanto aos incidentes que esta lei pode ocasionar, como multas, publicização do vazamento, danos à reputação, medidas judiciais, clientes descontentes, problemas éticos e disciplinares, violação de confidencialidade, entre outros, destacou-se a ainda importância do plano contingencial jurídico.

Deixe um comentário